Aderir online

808 507 500
Ligue para aderir, nos dias úteis, das 9h às 21h

Use da melhor forma a energia que consome

A energia faz parte do nosso dia-a-dia. Estamos habituados a acender a luz, a usar eletrodomésticos, a ter como garantido um banho quente. Todas estas atividades consomem energia que é, muitas vezes, desperdiçada.

A má utilização e o desperdício da energia é mau tanto para si e para o seu bolso como para o meio-ambiente.

Aprenda a fazer um uso mais eficiente da energia em várias áreas e poupe ainda mais.

Consulte aqui as Empresas de Serviços Energéticos qualificadas disponíveis no site da Direção Geral de Energia e Geologia.

Iluminação

Equipamentos em standby

Eletrodomésticos Classe A

A eficácia das lâmpadas fluorescentes tubulares é muito maior do que as incandescentes, pois produzem menos calor e a electricidade destina-se mais à obtenção de luz. São mais caras, mas consomem até menos 80%. Não são no entanto recomendáveis para sítios onde se acenda e apague muitas vezes a luz, porque este comportamento reduz significativamente a sua vida útil.

De acordo com a Quercus, a troca (de lâmpadas incandescentes e/ ou de halogéneo) por lâmpadas economizadoras (fluorescentes e LED) permite que uma família poupe 2,1% no consumo de electricidade.

Prefira cores claras nas paredes e tectos: aproveitam melhor a iluminação natural e reduzem a utilização artificial.

Nos “halls”, garagens ou outras zonas comuns, coloque detectores de presença para que as luzes se acendam e apaguem automaticamente.

Apague as luzes das divisões que não estão a ser utilizadas.

A Agência Internacional de Energia, estima que o “standby” seja responsável por 5% da electricidade consumida numa habitação.

O termo “standby” é empregue quando os aparelhos consomem energia sem que

estejam a desempenhar a sua função. É assim importante desligar completamente televisões, computadores, DVD, carregadores de telemóveis, ou qualquer outro aparelho.

Opte sempre que possível por electrodomésticos de classe energética A, A+ ou A++.

Uma máquina de lavar roupa antiga a funcionar pode ser um rombo na carteira. Trocando o seu modelo antigo por outro energeticamente mais eficiente (A+ e A++), poupa nos kWh e nos custos.

Cerca de 32% da electricidade consumida nas habitações portuguesas destina-se à refrigeração e congelação dos alimentos, segundo o Guia da Eficiência Energética da Adene. As causas para a perda de frio devem-se ao mau isolamento (68%), aos alimentos (13%), à junta da porta (8%), às aberturas (7%) e a outros aspectos (4%).

Fique a conhecer todos os serviços e aparelhos que a Galp tem à sua disposição no Galp Comfort.

Máquinas de lavar loiça e de lavar roupa

Forno

Microondas

As capacidades da máquina de lavar loiça e da máquina de lavar roupa devem ser coerentes com as suas necessidades. Procure utilizá-las quando estiverem cheias.

Cerca de 90% do consumo das máquinas de lavar loiça e 80% a 85% nas máquinas de lavar roupa, serve para aquecer a água pelo que deve recorrer a programas de baixas temperaturas.

Limpe frequentemente os filtros deste equipamentos, pois uma boa manutenção melhora o seu comportamento energético.

Mantenha os depósitos de abrilhantador e sal sempre cheios, pois reduzem o consumo de energia na lavagem e secagem

Se tiver contratada a tarifa bi-horária, procure fazer máquinas apenas no período noturno.

Cada vez que abre a porta do forno desperdiça 20% de energia, dizem os especialistas da Quercus.

Os fornos a gás são energeticamente mais eficientes do que os elétricos. Se optar pelos eléctricos, procure um de classe A.

Aproveite ao máximo a capacidade do forno e cozinhe o maior número de alimentos possível de uma só vez. Regra geral, não é preciso pré-aquecer o forno para cozinhados com duração superior a uma hora.

Apague o forno um pouco antes de acabar de cozinhar, pois o calor residual será suficiente para acabar o processo.

Os fornos com ventilação interna favorecem a distribuição uniforme de calor, poupam tempo e gastam menos energia.

Ao utilizar o microondas em vez do forno tradicional reduz o consumo de energia entre 60% a 70%.

Antes de preparar a refeição, escolha os recursos disponíveis, como o microondas, fogão e, por último, o forno.

Se optar pelo fogão tenha atenção a que o fundo dos recipientes seja maior do que o bico do fogão, aproveitando o calor ao máximo.

Pequenos eletrodomésticos

Televisão e equipamentos informáticos

Banho e torneiras

O ferro de passar, as torradeiras e os secadores por produzirem calor têm potências maiores e consumem mais energia que os restantes pequenos eletrodomésticos.

Aproveite o aquecimento do ferro para passar grandes quantidades de roupa e evite ligá-lo várias vezes para passar pouca roupa. Abra as janelas e provoque correntes de ar naturais, para que não seja preciso ligar a ventilação.

Opte por equipamentos informáticos com etiqueta Energy Star que passam a modo de baixo consumo (estado de repouso), após algum tempo de inutilização.

A proteção do ecrã que poupa mais energia é a totalmente negra. Neste estado, consome apenas 15% do normal.

Em ausências superiores a 30 minutos, é preferível desligar o computador portátil.

Se utilizar o computador por períodos curtos, desligue somente o ecrã. Ao regressar, não terá que esperar que todo o equipamento reinicie.

Os ecrãs de LCD de televisão poupam cerca de 37% de energia em funcionamento e cerca de 40% em modo de espera.

Ligue todos os equipamentos a uma ficha múltipla com botão “on” e “off”.

Demore menos tempo a tomar banho e desligue a água enquanto se ensaboa.

De acordo com a Quercus, se deixar correr a água menos de dez minutos, pode reduzir 6% a fatura do gás natural.

Os sistemas com acumulação de água quente são mais eficientes do que os de produção instantânea e sem acumulação, mas é importante que as tubagens estejam bem isoladas.

Evite que as torneiras fiquem a pingar. O gotejar de uma torneira pode fazê-lo perder 100 litros de água por mês.

Coloque redutores de caudal de água nas torneiras e reguladores de temperatura com termóstato, sobretudo no duche, onde pode poupar entre 4 a 6% de energia.

Troque as torneiras que são independentes (de água fria ou quente) pelas que misturam as águas de diferentes temperaturas.

Os sistemas de descarga parcial ou com duplo botão para o autoclismo também ajudam a poupar.

Vidros e caixilharia

Aquecimento e ar-condicionado

Se puder, substitua as janelas e caixilharias por vidros duplos e caixilharias em PVC, que combinam tecnologia e técnicas de informática sem que haja intervenção humana no fabrico.

Esta mudança permite menor transferência de calor entre a sua casa e o exterior, no Inverno. Aumenta o conforto da sua habitação e reduz a necessidade de aquecer ou arrefecer o seu interior.

Para ventilar a habitação, abra as janelas durante dez minutos , por dia, e durante a noite feche as persianas e cortinas, para evitar perdas de calor.

Defina a temperatura do seu sistema de climatização para 21ºC ou 22ºC no Verão e 19ºC no Inverno. Estas são as temperaturas em que a maior parte da população se sente confortável. Mais ou menos 1ºC implica mais 10% no consumo de energia.

À noite, nos quartos, basta ter uma temperatura de 15ºC a 17ºC para que se sinta confortável. Deve desligar o aquecimento a não ser que viva em zonas muito frias. O calor acumulado na habitação durante o dia costuma ser suficiente, sobretudo se fechar persianas e cortinas.

Quando a casa estiver vazia durante muitas horas, considere a substituição de um termóstato normal para um programável, para fixar as temperaturas em diferentes ciclos horários.

Ligue o aquecimento depois de arejar a casa e fechar as janelas.

Instale válvulas termostáticas e termóstatos programáveis em radiadores, pois são soluções práticas que permitem poupar entre 8 e 13% no consumo.

Quando se ausentar, reduza a posição do termóstato para os 15ºC, que é o modo de “economia” de alguns modelos.

Uma manutenção adequada do aquecimento pode poupar até 15% em energia.

Nos sistemas de aquecimento central, o ar que os radiadores a água podem conter no seu interior dificulta a transmissão de calor da água quente para o exterior. É conveniente purgar este ar pelo menos uma vez por ano, no início da utilização.